BUSQUE AQUI MESMO

OLA VISITANTES

ESTATISTICAS MUNDIAL

COM A PALAVRA IRMÃO RUBENS

segunda-feira, 29 de junho de 2015

BENNY HINN O LADO OCULTO



É ASSUSTADOR POREM NÃO É DE SE ESPANTAR VINDO DESTES CARAS
A alguns meses atrás já fizemos uma postagem sobre este Lide Religioso chamado Benny Hinn, mas dessa vez é um pouco mais interessante,todos nos sabemos que em fevereiro deste ano Benny hinn esteve no Brasil,na igreja do Bispo Agenor Duque.Eu posso falar sobre isso porque eu estava lá,e que saber como foi???Foi nojento,Benny Hinn Chegou em uma Limosine com um terno Branco e cheio de seguranças,,claro tudo isso ele conseguiu graças ao seu dinheiro dizimista e ofertante,ele derrubou muita gente na suposta unção.E pregou uma palavra sem pé nem cabeça,,vendeu muitos livros e enganou muita gente,,eu tenho alguns livros dele e aconselho você a não comprar la só fala mentiras.
Cuidado com Benny ele disse que volta ao Brasil em setembro,,axuuu que vou esta la novamente só para estuda-lo e novamente fazer aqui algumas postagens sobre ele,dizendo nada mais nada menos que a verdade

1) Benny Hinn declarou que Jesus “… assumiu a natureza de Satanás, para que todos quantos tinham a natureza de Satanás pudessem participar da natureza de Deus”. Esta declaração blasfema é citada no trabalho crítico de Hank Hanegraaff, Cristianismo em Crise, editado pela CPAD (p. 166).
2) Afirmou que o Espírito Santo lhe revelou que as mulheres foram originalmente criadas para dar à luz pelo lado. Todavia, por causa do pecado, passaram a dar à luz pela parte mais baixa de seu corpo (idem, p. 373).
3) Ensina que o homem é um pequeno deus. E afirmou: “Eu sou ‘um pequeno messias’ caminhando sobre a Terra” (idem, p. 119).
4) Afirmou que o homem, em princípio, voava da mesma forma que os pássaros. Segundo ele, Adão podia voar até à lua pela sua própria vontade: “Adão era um superser (…) costumava voar. Naturalmente, como poderia ter domínio sobre as aves, sem ser capaz de fazer o que elas fazem?” (idem, p. 128).
5) Hinn costuma visitar os túmulos de duas santas mulheres, Kathry Kuhlman e Aimee S. McPherson, para receber a “unção” que flui de seus ossos (idem, p. 373).
6) Em seu livro Good Morning, Holy Spirit (p. 56), Hinn afirma que, em uma de suas supostas conversas com o Espírito Santo, o Consolador teria implorado para que ele ficasse em sua presença: “Hinn, por favor, mais cinco minutos; apenas mais cinco minutos”.
7) Ele ensina que a Trindade é composta de nove pessoas, pois o Pai, o Filho e o Espírito Santo possuem, cada um, espírito, alma e corpo (Cristianismo em Crise, p. 375).
8 ) Defendendo a teologia da prosperidade, a qual ensina que a pobreza é uma maldição, afirmou que Jó era carnal e mau (idem, p. 103), ignorando o enfático testemunho de Deus acerca de seu servo: “Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero e reto, temente a Deus, e desviando-se do mal”, Jó 1.8.

9) Defensor da falaciosa confissão positiva, declarou: “Nunca, jamais, em tempo algum, vão ao Senhor e digam: ‘Se for da tua vontade…’ Não permitam que essas palavras destruidoras da fé saiam da boca de vocês”. (idem, p. 295). Hinn ignora o fato de o próprio Cristo ter ensinado e empregado tal forma de oração (Mt 6.10; 26.39).

PROJETO HAARP RESUMIDO EM 3MINUTOS

MANIPUILAÇÃO GOVERNAMENTAL

sábado, 20 de junho de 2015

LEITELHO O LADO OCULTO DO LEITE

LEITELHO JA OUVIU FALAR SABES O QUE É ???

Leitelho, antes desprezado, hoje tem mérito reconhecido
Leite naturalmente desnatado e com traços microscópicos de manteiga contribui para um sabor rico e pungente nas receitas
Verdadeiro leitelho é o que sobra da nata pesada depois que ela foi batida para quebrar sua emulsificação natural
Foto: Stacey Cramp / NYTNS
  Old Orchard Beach, Maine, Estados Unidos – A primeira vez que a Food and Drug Administration (órgão do governo americano responsável pelo controle de alimentos e remédios) enviou um inspetor para checar a produção de laticínios na Kate's Homemade Butter, as coisas não deram muito certo. 
"O cara nem desceu do carro", conta Daniel Patry, o bem-humorado fundador da empresa. "Ele se recusou a acreditar que era uma fábrica de verdade." 
Patry, que havia trabalhado por décadas em fábricas de laticínios comerciais, começou a produzir manteiga aqui em 1981, em sua garagem num bairro residencial. Ele não tinha vacas e tinha muito pouco capital, mas tinha um objetivo elevado: reproduzir a manteiga fresca, feita de nata de alta qualidade, a qual se lembra de comer enquanto crescia numa fazenda leiteira perto de Minot, no estado do Maine. 
Hoje, a Kate's produz mais de 450 toneladas de manteiga por ano, todas na mesma pequena garagem. E, no ano passado, tornou-se a primeira engarrafadora em larga escala de um laticínio que quase desapareceu das mesas americanas: buttermilk (chamado em português de leitelho), o líquido cremoso que fica na batedeira depois que a manteiga se aglomera. 
"As pessoas não têm ideia de quanto esse negócio é bom, mas logo, logo vão descobrir", diz Patry, 62 anos, que é talvez o nativo mais otimista e falante da história do Maine. 
Muitos cozinheiros mantêm em suas casas o leitelho à mão para fazer panquecas, molho caseiro ou pão de milho. Eles podem saber que ele proporciona bolos mais macios (porque amacia o glúten na farinha), biscoitos mais fofos (pois seus ácidos aumentam o poder de fermentos químicos) e molhos mais grossos (o ácido lático no leitelho gentilmente coalha as proteínas numa massa molinha). 

Mas o que poucos cozinheiros sabem é que o leitelho comercial à venda nos Estados Unidos, na verdade, não é leitelho. Ele é feito de leite magro ou desnatado, que normalmente, por sua vez, é resíduo da produção de queijo e de manteiga. Esse leite é inoculado com culturas para acidificá-lo, e engrossado com aditivos como goma de alfarroba e goma carragena. O resultado é um fac-símile achatado do leitelho real, como na relação entre uma canção e o toque de celular que fazem dela. 
"Não tem nada de errado com isso, mas eu não ia querer tomar", diz Diane St. Clair, produtora de laticínios em Vermont que, como muito de seus pares, prefere o sabor ácido, leve e, ainda assim, rico do leitelho genuíno. 
Foi exatamente esse leitelho que saiu do fundo da batedeira de Patry às quinze para as sete da manhã, recentemente. O leitelho de verdade é aquilo que sobra da nata pesada depois que ela foi batida (aqui, cerca de quatrocentos e cinquenta quilos de uma vez só, descendo ao longo de uma batedeira de manteiga de quatro metros de altura, com grandes batidas e pancadas) para quebrar a sua emulsificação natural. 
Nesse processo, os glóbulos de gordura são quebrados para soltar a gordura amarela da manteiga, que vai se aglomerando. O líquido que resta é o leitelho: leite naturalmente desnatado, com traços microscópicos de manteiga que deixam um sabor rico e pungente e um toque cremoso na boca. O leitelho real contém diacetil natural, o mesmo composto que torna a manteiga derretida tão aromática e infunde alguns vinhos chardonnay de toques amanteigados. 

"O meu leitelho tem pedaços de manteiga boiando, o que provavelmente não deveria acontecer", diz St. Clair, que tem um rebanho de oito vacas Jersey em sua fazenda (curiosamente chamada Animal Farm – título original do livro "A Revolução dos Bichos" –, localizada na cidadezinha de Orwell, homônima do autor, em Vermont), e faz manteiga e leitelho para os restaurantes do chef Thomas Keller. "Mas com certeza ele fica gostoso desse jeito." 

Ela, Patry e alguns outros produtores dedicados de laticínios aqui e no Sul acabam de começar a levar o leitelho à moda antiga para sacolões e hortifrútis, à medida que os equipamentos de engarrafamento começam a ficar menos caros. 

Seus esforços se ligam facilmente a várias tendências culinárias: o trabalho com produtos agropecuários tradicionais e a incorporação de resíduos antes rejeitados e partes diferentes de ingredientes nobres. O leitelho consegue até representar tanto o sul dos Estados Unidos quanto a Escandinávia, duas das maiores influências gastronômicas de hoje. 

Em toda parte, chefs ambiciosos de repente estão mergulhando no leitelho. Só em Nova York, Roberto Mirarchi está banhando batatas doces com leitelho azedinho no Blanca; Wylie Dufresne, do WD-50, recobre pães doces com leitelho aromatizado com capuchinhas; e a jovem estrela Matthew Lightner o coa até engrossar, e usa para preencher cascas de girassol batateiro fritas crocantes no Atera. 

No restaurante Earth, em Kennebunkport, no Maine, o chef Ken Oringer acrescenta uma gota de leitelho azedinho e gelado a cada ostra na concha, contribuindo para a acidez normal do limão com a riqueza do leite. E em todo o sul dos Estados Unidos, chefs de alta patente como Linton Hopkins do Eugene, em Atlanta, e Josh Feathers do Blackberry Farm, perto de Knoxville, no Tennessee, estão percebendo novas formas de usar o leitelho, um ingrediente distintivo da tradição culinária sulista. 

"Minha família toda se lava nele", conta Colleen Cruze, 25 anos, a herdeira de pele cremosa da Cruze Dairy Farm, perto de Knoxville. Seu pai, Earl, 69 anos, vem espalhando o evangelho do leitelho de verdade pelo Sul há décadas. A fazenda, hoje, produz cerca de quinze mil litros por semana. 

Cruze se formou na Universidade do Tennessee em ciência agronômica e serve de embaixadora do leitelho na família, vendendo biscoitos dourados de leitelho, sorvetes de leitelho com sabores como cardamomo e lima ou caramelo salgado, e leitelhos com sabor de figo e morango na feira de fazendeiros Market Square em Knoxville, todos os sábados. 

Na feira, ela é incansável em persuadir fregueses a tomar doses de leitelho puro, uma tradição rural difícil de vender àqueles acostumados apenas com a versão azeda e com gosto de papelão do supermercado. 

"As pessoas têm muito medo", diz ela. "Tenho de lembrá-las que é como iogurte." 

É uma virada curiosa, pois o leitelho era um produto fundamental na dieta americana bem antes de o iogurte se tornar popular, nos anos 1970. 

Debbie Moose, historiadora da comida da Carolina do Norte, lembra-se de quando o leitelho era tão predominante no Sul que sua mãe chamava a versão normal de "leite doce", para diferenciar as duas. 

"É o ácido lático que dá ao leitelho o azedinho, e os sulistas realmente apreciam isso", diz Moose, autora de "Buttermilk: A Savor the South Cookbook" ("Leitelho: sabor nas receitas sulistas"), publicado em setembro pela editora da Universidade da Carolina do Norte. Leitelho misturado com migalhas de pão de milho era uma ceia clássica no Sul rural, e a combinação é algo bem próximo à perfeição: doce, azedinha, terrosa, rica e fresca. 

Muitos fatores além do ácido lático (incluindo a temperatura, o frescor e o conteúdo de gorduras) se combinam para produzir o vivo sabor do verdadeiro leitelho. Fazendeiros modernos como Cruze acrescentam culturas específicas ao leitelho recém-extraído, em vez de se arriscar com as espontâneas. 

Como todas as comidas culturadas, o leitelho pode azedar em vez de fermentar, caso as condições não sejam as ideais. Só recentemente, diz Cruze, seu pai lhe permitiu, às vezes, executar a importante etapa de despejar as culturas no tanque. Quando ele o faz, diz logo antes uma oração. 

"Ele costumava trancar o celeiro quando tinha muitas mulheres trabalhando na fazenda", conta ela. "Dizia que, se elas estivessem menstruadas, a cultura não ia pegar." (Essa superstição já foi invocada para a produção de maionese na França, e de pão no Leste Europeu).

Na Kate's Homemade Butter, hoje, só trabalham homens. (Kate, uma prima ruiva cuja foto ainda bebê é parte do logo da empresa, engatinhava quando os Patry começaram a fazer manteiga; hoje ela tem 34 anos). O filho mais novo de Patry, Lucas, 30 anos, faz a cultura: ele também faz pesquisas, buscando em manuais de produção de laticínios de antes da Segunda Guerra Mundial fórmulas que já desapareceram. 

Lucas compartilha silenciosamente o entusiasmo e a paciência do pai nessa arte. E, toda quarta-feira à noite, enquanto o leitelho da semana repousa num tanque de aço inoxidável, os dois trabalham a noite inteira, desmontando as máquinas de fabricação de manteiga, levando grandes carrinhos e o maquinário complexo para o quintal, e então reconstruindo toda a linha de montagem para o engarrafamento. (Pelo jeito, os Patry têm vizinhos bastante pacientes). 

E Patry e seu pai compartilham a missão de trazer o leitelho, talvez na forma de um smoothie, de volta às massas. 
"Vamos começar a escrever 'probiótico' na nossa embalagem", diz ele, referindo-se às culturas de bactérias que já se demonstrou ajudarem a promover a saúde intestinal. "Se funcionou para o iogurte, deve funcionar para nós."

segunda-feira, 15 de junho de 2015

DEEPWEB RESUMIDAMENTE EXPLICADA

EM 90% DOS CASOS AS PESSOAS VOLTAM A SUPERFICIE
DEEPWEB RESUMIDAMENTE EXPLICADA SIGA O GRAFICO.
EU SOU UM DEEPNAUTA MAS ME APROFUNDO COM CAUTELA POIS LA É COMPLETAMENTE DIFERENTE DAQUI.

domingo, 14 de junho de 2015

FRIBOI E O CODEX ALIMENTARIUS

NOTA DE MARLUES
É A MESMA COISA DO PEIXE PANGA PROIBIDO NA ASIA VENDIDO LIVREMENTE NOS MAIORES ATACADISTAS BRASILEIROS É O CODEX ALIMENTARIUS EM AÇÃO
 NAO MATA SO A TUA FOME MATA VOCE TAMBEM É A REGRA DO CODEX ALIMENTARIUS.
CODIGO MUNDIAL DE ALIMENTAÇÃO
Por Trás da Midia Mundial - Norte
Por Trás da Mídia Mundial

Por trás da Míídia Mundial

CICADA 3301 MAIS UMA SILADA DA MAÇONARIA

CICADA 3301 MAIS UMA SILADA DA MAÇONARIA
Cicada 3301, o maior mistério da internet
Fernando Sacchetto / 22 de janeiro de 2014
ATUALIZADO 27/02/2014! Há informações novas sobre o “puzzle” de 2014 no final do post.



Bom dia crianças! Sentem-se aqui que o titio vai contar uma história.

Era uma vez, há muito tempo atrás (2 anos e 18 dias para ser mais exato), um reino encantado chamado Internet. Nesse reino, havia vilas e castelos onde a paz reinava, lugares seguros para crianças e ambientes de trabalho, mas a maior parte dele era tomada por uma floresta densa e sombria chamada Deep Web, na qual somente os guerreiros mais bravos (ou idiotas), bem como os vilões mais terríveis, se aventuravam.

Bem na beirada desta floresta (mas ainda acessível pelas estradas mágicas de Google) havia um local obscuro chamado 4chan, um covil cheio de escória e vilania, onde os elementos sombrios da Internet se reuniam para trocar imagens de coisas saudáveis como pornografia infantil, zoofilia e Meu Pequeno Pônei (NÃO clique aqui, sério mesmo), mas onde também podiam ser encontrados muitos dos maiores hackers do reino – o Anonymous nasceu lá, aliás. Pois foi justamente no canto mais bizarro dessa fortaleza, o infame fórum conhecido apenas por /b/, que surgiu, sem mais nem menos, a seguinte imagem:



“Olá. Estamos procurando indivíduos altamente inteligentes. Para encontrá-los, nós criamos um teste.

Há uma mensagem oculta dentro desta imagem.

Encontre-a, e ela colocará você no caminho para nos encontrar. Estamos ansiosos para conhecer os poucos que conseguirão chegar ao final.

Boa sorte.

3301″

Claro, isso deixou os sábios (ou seja, nerds) do reino todos ouriçados, e aqueles que dominavam os rituais místicos de criptografia e afins entraram com tudo nessa aventura. Para procurar que segredos o arquivo de imagem escondia, abriram o texto correspondente ao código dele (por exemplo, no Bloco de Notas), e no final havia a seguinte mensagem:

TIBERIVS CLAVDIVS CAESAR says “lxxt>33m2mqkyv2gsq3q=w]O2ntk”

Quem manjava de criptografia lembrou-se que um dos métodos mais clássicos, no sentido de antigo mesmo, de codificar mensagens era a Cifra de César, assim chamada porque Júlio César a usava para passar informações confidenciais. Consiste em substituir cada letra (ou, nesse caso, caractere) pela que estivesse um determinado número de posições à frente no alfabeto. Por exemplo, se o número em questão for 3, a letra A é substituída por D, B por E, etc., e “inutilidade” vira “lqxwlolgdgh”. Alguém “lembrou” (leia-se: leu na Wikipedia) que Tiberius Claudius foi o 4º imperador de Roma, e teorizou que o número em questão era 4. Se achando foda bagarai por conseguir resolver essa charada, o pessoal aplicou a cifra de César com deslocamento de 4 posições (usando o conjunto extendido de caracteres ao invés do simples alfabeto) e chegou à seguinte imagem:


WOOPS – Somente pistas falsas por aqui. Parece que você não consegue adivinhar como se extrai a mensagem.

Em outras palavras, o pato estava rindo da cara dos trouxas, e ao mesmo tempo dizendo “cara, se você acha que vai passar no meu teste usando uma técnica manjada que qualquer n00b domina com 5 minutos de Google, não perca seu tempo”. Ou seja: Esse não era o tipo de “enigma” meia-boca que você acha numa Superinteressante da vida. O negócio aqui era pra valer, shit just got real, e só quem fosse realmente FODA passaria.

Os monges da ordem dos Nerds Tetudos resolveram então analisar a imagem através da técnica da esteganografia, que consiste em esconder mensagens secretas dentro de uma imagem através de mudanças imperceptíveis a olho nu. Descobriram assim um link no Reddit, com postagens embaralhadas e uma sequência de pontos e linhas, além de um “código de livro”, do tipo 1:20, 2:3, 3:5 etc., do tipo que você aplica a algum texto pré-estabelecido e retira (nesse caso) a 20ª letra da 1ª linha, a 3ª letra da 2ª linha, a 5ª letra da 3ª linha e assim por diante. Após mais uma rodada de especulação e esteganografia em imagens encontradas no Reddit, descobriram que os símbolos estranhos, que eram numerais maias, decodificavam as linhas embaralhadas, chegando a um texto sobre o Rei Artur, em linguagem antiquada. Aplicando a “cifra de livro” a esse material, foi revelada uma mensagem dizendo para ligar em um determinado número de telefone, o qual atendia com uma mensagem gravada dizendo:

Muito bem. Você se saiu bem. Há três números primos associados com a imagem original final.jpg. (nota: a primeira imagem, postada lááá em cima) 3301 é um deles. Você precisa achar os outros dois. Multiplique todos os três números juntos e adicione um .com para achar o próximo passo. Boa sorte. Adeus.


SÉÉÉÉRIO que eu cheguei até aqui pra isso??

Então, percebendo que a largura e altura da imagem (509 e 503, respectivamente) são números primos, multiplicaram os dois junto com 3301 e chegaram a 845145127. No endereço indicado, encontraram a imagem de uma cigarra (Cicada em inglês, o que foi adotado como nome da organização/conspiração/aliens/etc. por trás do enigma), bem como um cronômetro em contagem regressiva. Aplicando esteganografia na cigarra, havia só uma mensagem dizendo que “a paciência é uma virtude” (aliás, frase muito repetida pela Cicada 3301). Ao chegar o momento indicado pelo cronômetro, apareceram uma série de coordenadas, conforme visto nesse backup da página. E é aqui que a coisa começa a ficar assustadora.

As coordenadas levavam a 14 lugares completamente malucos, espalhados pelo globo: Varsóvia, Paris, Seattle, Seul, Arizona, Califórnia, Nova Orleans, Miami, Havaí e Sydney, entre outros. Nos locais indicados, foram achados papéis pregados em postes:


Poste encontrado em Varsóvia, Polônia

Até então, muita gente especulava que “3301” poderia ser simplesmente um nerd granudo, sem mais o que fazer, apesar de bastante dedicado e talentoso, só zoando com a galera. Mas, ao atuar ao mesmo tempo em 14 localidades tão distantes como Polônia, Austrália e Havaí, isso só poderia ser algum tipo de organização poderosa, ou pelo menos algum grupo com diversos membros e certa dose de recursos. Fosse o que fosse, a Cicada 3301 não estava de brincadeira.

Enfim, juntando as informações de TODOS os 14 lugares (o que necessitou de colaboração de gente do mundo todo), chegaram eventualmente em 2 mensagens, cada uma com um código de livro e uma referência obscura dando dica de a qual livro se referiam, bem como um aviso: “Você já compartilhou demais até aqui. Nós queremos os melhores, não os seguidores. Portanto, os poucos primeiros que chegarem receberão o prêmio.”

Os livros em questão eram o Mabinogion, um manuscrito celta da Idade Média, e Agrippa, um poema de William Gibson (autor de Neuromancer e criador do movimento cyberpunk), que foi distribuído em um disquete feito para ser inutilizado após ser lido uma única vez. Para encurtar a história, os códigos desses livros foram resolvidos, e levaram a um endereço da Darknet.


Bem-vindos à Darknet

Se você já ouviu histórias de terror sobre a Deep Web, provavelmente as pessoas estavam na verdade falando sobre a Darknet. Originalmente, os dois conceitos eram sinônimos, mas o nome “Darknet” passou a designar mais os sites mantidos em segredo de propósito, por conter materiais ilegais ou pelo menos extremamente reprováveis. Ela geralmente é acessada pelo Tor (The Onion Router, ou “o roteador cebola”), um navegador cujo nome vem do fato que ele trabalha com várias camadas de redirecionamento (além de criptografia pesada), para despistar qualquer um que tente rastrear o tráfego na Darknet. Os endereços do Tor são sempre no formato de uma sequência aparentemente aleatória de caracteres seguida da extensão .onion, de forma que é impossível acessar um site sem ter recebido de antemão o endereço dele (você não pode buscar, nem chutar o nome de um site, por exemplo).

Pois bem, o endereço conseguido aplicando-se um código a um livro de 1992 que sumia assim que era lido levava justamente a uma sequência de caracteres com .onion no final. O próximo passo era óbvio: jogar isso no Tor e ver onde que ia parar. Entretanto, aqui é onde terminam as certezas em nossa história. Como dito nas últimas mensagens do 3301, eles estavam procurando apenas os melhores. Portanto, após um determinado número de acessos, o site da Darknet simplesmente saiu do ar e nunca mais voltou. Algumas pessoas que dizem ter chegado a tempo (afinal, não há como checar) afirmam ter recebido um e-mail solicitando que desenvolvessem um programa de criptografia com determinadas características, provavelmente como um teste final; o que aconteceu após isso é um completo mistério, pois os poucos que passaram disso (se é que houve) nunca mais deram notícias.

Logo em seguida (no final de janeiro de 2012), foi postada no Reddit uma mensagem final do 3301, avisando que haviam encontrado as pessoas que procuravam, e dizendo que haveriam oportunidades futuras. Todos se entreolharam, intrigados, sedentos por uma resposta para o enigma, mas sem meios para encontrá-la. Os meses foram passando, e no dia 5 de janeiro de 2013, exatamente um ano após a fatídica convocação, surgiu outra bem parecida, também no 4chan. Os nerds entraram em polvorosa: a Cicada estava de volta.



Seguiu-se outra “caça ao tesouro”, bem mais complicada que a primeira. Ela envolveu um livro do ocultista Aleister Crowley, um “boot cd” de um sistema operacional próprio da Cicada, uma música (bem maneira, por sinal), um twitter que postava números misteriosos, um código cabalístico de runas, uma porrada de sites da Darknet, mensagens compostas exclusivamente de espaços e tabulações que tinham que ser convertidas em binário, mais mensagens em postes em vários lugares do mundo (Japão, Rússia, Texas, entre outros), etc. até chegar ao teste final. Sério, é coisa pra caramba, muito mais sinistro que a primeira vez – quem tiver curiosidade pode ler aqui.

Dessa vez, o teste final (novamente, informação que não pode ser confirmada e depende apenas da palavra de quem diz ter chegado até lá) foi bem diferente do primeiro, e talvez dê pistas sobre as ideias que pautam o 3301. Tratava-se de um questionário versando sobre temas altamente filosóficos, com questões de “verdadeiro ou falso” do tipo “não existe verdade”, “a observação muda a coisa sendo observada” e “eu sou a voz dentro de minha cabeça”, e outras dissertativas como “a operação matemática conhecida como adição é modelada em quê?” e “aponte semelhanças entre o conceito de realidade e a news feed do Facebook”. Logo em seguida, houve (supostamente) outro teste de programação; novamente, o que veio depois disso é desconhecido, pois as pessoas que passaram em todos os testes sumiram completamente da internet.


Ou talvez haja outra explicação para seu sumiço.

Como era de se esperar, em 5 de janeiro de 2014, a Cicada voltou à ativa. Aliás, tanto esperavam por isso que choveram trolls postando mensagens falsas, que logo foram desconsideradas por não ter a assinatura digital do 3301, entre outras características. Já estavam quase desistindo quando, lá pelas 11 da noite, o twitter usado pelo misterioso grupo no desafio anterior postou um novo convite, semelhante aos anteriores, mas com um tom mais místico:

Olá.

A epifania está próxima de você. Sua peregrinação começou. A iluminação está à espera.

Boa sorte.

3301

Conforme a “gincana” desse ano foi progredindo, a temática mística tem se mostrado cada vez mais presente. Seguindo a tendência, o desafio desse ano é ainda mais cabuloso que o do ano anterior, e apesar de haver bem mais gente empenhada em resolvê-lo, até a data dessa publicação o pessoal tava completamente empacado há mais de uma semana. A coisa começou com mais um código de livro, dessa vez baseado em um livro de Ralph Waldo Emerson sobre auto-suficiência e transcendência, a qual levou à seguinte imagem pra lá de estranha:



Isso é uma colagem de três quadros do artista e poeta inglês William Blake, de cerca de 1795: Nabucodonosor, Newton e O Ancião dos Dias, mas com duas modificações bem significativas: uma cigarra (a mesma que apareceu várias vezes nos outros desafios), bem escura e quase invisível na parte preta do lado de baixo, e alguma coisa escrita na linha onde o dedo está apontando bem no meio da imagem. Até hoje, ninguém foi capaz de decifrar o que está escrito ali, pois é alguma coisa minúscula, distorcida pela compressão da imagem, e cortada pela linha. Muito se especulou sobre o significado da imagem. Apontaram semelhanças entre ela e o Hexagrama Unicursal, símbolo da Thelema, tradição mágica de Aleister Crowley, conectando-se portanto com o desafio de 2013; outros enxergaram o símbolo da Maçonaria, o que é reforçado pelo uso de compassos, sugerindo que esta ordem esteja por trás do 3301. No código-fonte da página onde a imagem foi encontrada, havia a frase “Pois tudo o que vive é sagrado”, ressaltando mais ainda o misticismo da figura.

Sem entender direito o que a imagem significa, o pessoal seguiu a trilha da esteganografia, a qual (novamente através de vários sites na Darknet, além de puzzles de criptografia, mais runas cabalísticas, e diversas páginas que mostravam códigos crescendo pouco a pouco e desaparecendo logo após se completar) foi eventualmente revelando algumas páginas de um estranho livro, intitulado Liber Primus e escrito em runas. Traduzido, o livro, dirigindo-se ao leitor como “peregrino”, fala em uma “jornada para o fim de todas as coisas”, através da qual você encontrará um fim para o sofrimento, a inocência, as ilusões, as certezas, a realidade, e até o fim de si próprio. “Você é um ser por si só”, diz o livro; “Você é uma lei por si só. Cada inteligência é sagrada. Pois tudo o que vive é sagrado.” Diz também que os números primos (essenciais para a criptografia) são sagrados, e tudo deve ser criptografado. A última página revelada até o momento fecha com um “quadrado mágico”, cheio de números cuja soma de todas as linhas, colunas e diagonais dá 1033 (3301 ao contrário, claro), cujo significado também não foi descoberto até agora. E é aqui (bem, um pouquinho mais adiante, mas nada de significativo) que termina o que conseguiram desvendar até o momento. (ATUALIZAÇÃO 27/02/2014: Surgiram informações novas. Veja no final do post.)

   
   
Que conclusões nós podemos tirar disso (além de que eu preciso trocar de calças após ver isso tudo)? Como eu já disse, a hipótese de ser só algum desocupado foi descartada devido aos recursos e atuação internacional que essa pessoa precisaria ter. Se for mesmo só “pela zuera”, eu tiro o chapéu e me curvo perante tamanha dedicação, mas é muito difícil acreditar. Assim como a ideia de que seja algum ARG (Alternate Reality Game, um tipo de campanha que usa mistérios em várias mídias para promover alguma coisa, como o I Love Bees do Halo e o Lost Experience de LOST), pois já estamos no terceiro ano e isso não fez propaganda de coisa alguma até agora. O que nos resta então?

Há quem diga que isso é uma estratégia de recrutamento por alguma grande agência governamental como a NSA. Esse tipo de instituição já usou táticas estranhas de recrutamento antes, mas é comum deixarem claro de quem se trata em algum momento; além disso, o aspecto filosófico e oculto também depõe contra essa hipótese. Ainda assim, não pode ser definitivamente descartada. Por motivos semelhantes, outra alternativa pouco provável (apesar de popular) é que 3301 esteja procurando gente para trabalhar com criptomoedas como a Bitcoin, talvez por algum grande banco. Há também a interpretação de que a tal Cicada 3301 esteja ligada a algum tipo de sociedade secreta, com objetivos obscuros ainda a se determinar. Qual, exatamente, é pura especulação – sinta-se à vontade para apontar os maçons, Illuminati, Templários, Abstergo, alienígenas, ou quem mais você queira. O misticismo e as referências a Aleister Crowley que têm surgido sugerem algum tipo de culto, seita ou que o valha.


Tarde de domingo nos escritórios da Cicada 3301.

Houve alguns supostos vazamentos (muito questionados quanto à sua veracidade; afinal, na internet qualquer um pode afirmar qualquer coisa) que podem esclarecer bastante se forem verdadeiros. Um deles, o email supostamente recebido por quem completou o desafio de 2012, afirma que 3301 é um think tank voltado à promoção da liberdade de informação e privacidade do indivíduo. Uma mulher misteriosa, conhecida apenas pelo nick Wind, afirma ser ex-membro da organização por trás do 3301, e diz ter sido recrutada por seu conhecimento em psicologia (pois não entende muito de computadores), e que o grupo atua em diversas áreas diferentes, sendo o 3301 simplesmente a “divisão” de criptografia ou algo assim.

Por fim, um texto anônimo de um suposto dissidente da organização diz que ela se assemelha a uma religião “da mão esquerda” (ou seja, satanista), que é uma sociedade secreta fundada por pessoas influentes que “estavam insatisfeitas com a direção do mundo”, que trabalha em estrutura de células com alta compartimentação (divisão de informações para evitar vazamentos), atuando nas mais diversas áreas, e que é pautada por diversas filosofias como a ideia de “cérebro global”, liberdade absoluta do indivíduo e da informação, a não existência de uma moralidade absoluta ou mesmo uma única realidade indiscutível, entre outras. Novamente, há grande chance de que seja somente um troll, mas se for verdade, certamente parece coerente com os materiais que o 3301 tem apresentado até agora.

E você, o que acha? Você teria coragem de seguir a trilha de migalhas de pão e ver até onde ela vai? Se quiser, um bom lugar para começar é o site Uncovering Cicada Wiki, que foi a principal fonte de pesquisa desse artigo. Boa sorte…


E bons sonhos.

ATUALIZAÇÃO 27/02/2014:

Em 29 de janeiro, após mais de duas semanas sem novidades, o último site encontrado até então, que estava offline, voltou à atividade com um arquivo zipado (em formato de texto contendo código hexadecimal, como o 3301 costuma fazer), do qual podiam ser extraídos (após fuçar um pouco em seu código) as seguintes imagens:

    
Logo traduziram as páginas, levando a uma história que eu particularmente achei bastante interessante:

Um Koan

Um homem decidiu ir estudar com um mestre. Ele dirigiu-se à porta deste mestre. “Quem é você, que pretende estudar aqui?” perguntou o mestre. O estudante disse ao mestre seu nome. “Isso não é quem você é, apenas como você é chamado. Quem é você, que pretende estudar aqui?” ele perguntou novamente. O homem pensou por um momento, e respondeu: “Eu sou um professor.” “Isso é o que você faz, não quem você é”, replicou o mestre. “Quem é você, que pretende estudar aqui?” Confuso, o homem pensou um pouco mais. Finalmente, ele respondeu: “Eu sou um ser humano.” “Isso é somente sua espécie, não quem você é. Quem é você, que pretende estudar aqui?” perguntou o mestre de novo. Após um momento de reflexão, o professor respondeu: “Eu sou uma consciência habitando um corpo arbitrário.” “Isso é meramente O QUE você é, não QUEM você é. Quem é você, que pretende estudar aqui?” O homem estava ficando irritado. “Eu sou…” ele começou a dizer, mas não conseguia pensar em mais nada para falar, então se dispersou. Após uma longa pausa, o mestre respondeu “Então você é bem-vindo aos estudos.”

(após a imagem da cigarra) Uma instrução: faça quatro coisas despropositadas a cada dia.

Usando esteganografia nas imagens, extraíram a mensagem “Acreditar na verdade é destruir as possibilidades” e um endereço, que continha um monte de informação binária e a seguinte imagem, cujo espaço escuro foi tratado logo em seguida para mostrar outras imagens imperceptíveis a olho nu (ao lado):

   
O homem escondido no canto é Grigori Rasputin. O significado disso, e dos números, ainda não foi descoberto.

Paralelamente, foi decodificada a informação binária, que correspondia a um trecho de música clássica e duas imagens:



A equação faz parte do Teorema da Incompletude de Gödel, o olho é uma pintura de M. C. Escher, e a música é um trecho da Trio Sonata em Sol Maior (BWV 1039), de J. S. Bach. Não é difícil deduzir que isso se conecta com um livro chamado Gödel, Escher, Bach, de Douglas Hofstadter, que era a chave para um código de livro contido também nos dados binários. O endereço conseguido a partir dessa pista levou a mais quatro páginas do “livro” que estava sendo pouco a pouco divulgado pela Cicada:

    
Tradução:

A perda de divindade: A circunferência pratica três comportamentos que causam a perda de divindade.

Consumo: Nós consumimos demais porque nós acreditamos nos seguintes dois erros dentro do engodo:

1. Nós não temos o suficiente, ou não existe o suficiente;

2. Nós temos o que temos agora por sorte, e não seremos fortes o bastante mais tarde para obtermos o que precisamos.

A maioria das coisas não são dignas de consumo.

Preservação: Nós preservamos as coisas porque acreditamos que somos fracos. Se as perdermos, não seremos fortes o bastante para ganhá-las novamente. Este é o engodo.

A maioria das coisas não são dignas de preservação.

Aderência: Nós seguimos o dogma para que possamos pertencer ao grupo e estar certos. Ou, nós seguimos a razão para que possamos pertencer ao grupo e estar certos.

Não há nada sobre o que estar certo. Pertencer ao grupo é a morte.

São os comportamentos de consumo, preservação e aderência que nos fazem perder nossa primalidade e, portanto, nossa divindade.

Alguma sabedoria: Junte grandes riquezas. Nunca fique apegado ao que você possui. Esteja preparado para destruir tudo o que você possui.

Uma instrução: Programe sua mente. Programe a realidade.

Ocultas nas imagens estava um conjunto de instruções para algo que parece ser um teste final, semelhante aos anos anteriores, que envolvia a criação de “quadrados mágicos” (cuja soma de todas as linhas ou colunas é a mesma), bem como a criação de um serviço online na Darknet que permitisse a comunicação. Ao fornecer as informações solicitadas, o usuário era direcionado a uma página com um agradecimento, e as seguintes imagens:

   
Tradução:

Um koan: Durante uma lição, o mestre explicou o eu: “O eu é a voz da circunferência,” ele disse. Ao ser questionado por um estudante sobre o que isso queria dizer, o mestre disse: “É uma voz dentro da sua cabeça.” “Eu não tenho uma voz dentro da minha cabeça,” pensou o estudante, e ele ergueu a mão para falar ao mestre. O mestre interrompeu o estudante e disse: “A voz que acabou de dizer que você não tem uma voz em sua cabeça, isso é o eu.” E os estudantes foram iluminados.

Uma instrução: Questione todas as coisas; Descubra a verdade dentro de você; Siga a sua verdade; Não imponha nada aos outros.

Saiba disto: (sequência de números)

E, por enquanto, é só. Tudo leva a crer que a etapa final levou a um contato direto com a 3301, assim como nos anos anteriores; seja como for, se alguém conseguiu passar para esse estágio, ninguém mandou notícias até o momento. Ainda há um monte de mistérios e pistas não explicadas na gincana deste ano (qual é a dos quadrados mágicos? E o Rasputin com aqueles números?), mas não parece que vamos ter respostas para essas coisas tão cedo.

Esses últimos passos têm deixado bem claro o lado filosófico e ideológico da organização. O Liber Primus, nome dado ao livro que surgiu ao longo deste desafio, tem um conteúdo bastante místico, remetendo tanto ao zen-budismo quanto à ideia de questionar tudo e buscar sua própria verdade. Isso tudo só aumentou ainda mais a minha curiosidade, e (para mim) é mais uma pista de que há algo de mais profundo por trás deste mistério. Um simples desocupado, ou alguém com interesses comerciais, não se preocuparia com essa filosofia toda. Agora, só resta aguardar pra ver o que vai ser revelado em 2015…

Curta nossa página no [Facebook] e nos siga no [Twitter] para mais bugigangas do universo Nerd Geek

sábado, 6 de junho de 2015

APOCALIPSE ANIMAL

NOTA DE MARLUES
ASSISTI ESTE DOCUMENTARIO PELO NATGEO POREM ELES USARAM PESSOAS QUE COM CERTEZA FORAM PAGAS PARA DAREM EXPLICAÇÕES NÃO TÃO OBVIAS A LISTA DE ANIMAIS QUE ESTÃO APARECENDO MORTOS PELO MUNDO DESDE 1920 É IMENSA POREM A MIDIA PODRE NAO MOSTRA
Morte de animais em todo o mundo.

 Mortandade de peixes, aves e outros animais continua



O ano de 2011 começou com tristes notícias. O Chile suportou um terremoto de 7,1 graus na escala Richter, enquanto no Arkansas mais de 5000 aves mortas caíram do céu. Apenas dois dias depois, autoridades da região reportaram que encontraram quase 100 mil peixes mortos, e uma semana depois encontraram mais 2 milhões de peixes mortos em Maryland. Cientistas e especialistas seguem investigando o caso sem poder determinar a causa da morte dos animais, mas já apresentam algumas teorias.


02/01/2012 15h12 -
Dezenas de pássaros aparecem mortos nas ruas de cidade dos EUA.
Primeiro 5.000 merlos despencaram dos céus no Arkansas, sul dos Estados Unidos, na noite de Ano Novo; depois mais pássaros mortos caíram em outras regiões e, por último, uma enorme quantidade de peixes foi descoberta flutuando de barriga para cima nas águas do país.
Subitamente, isto se tornou um fenômeno mundial: houve reportes de mortes maciças de aves e peixes no Brasil, Suécia, Grã-Bretanha, Japão, Tailândia e outros países.
Pombas, águas-vivas, pargos, gralhas... Parece que nenhuma espécie está imune.


 04/01/2011
100 mil peixes morrem tambor em Arkansas River, mais de 100 milhas do local de mortes bizarras de melro. Mas de 100 toneladas de peixes ( sardinha  bagre e corvina ) Apareceram mortas no litoral do parana. Só uma comunidade chegou a enterrar 15 toneladas.
02/01/2012 15h35 -
Toneladas de peixes mortos formam tapete em praia da Noruega.

Em plena Piracema, milhares de peixes aparecem mortos no Pantanal.
Cardumes de pintados, pacus, dourados, cacharas e até arraias estão boiando mortos pelo rio Negro, em Aquidauana, no Pantanal, em Mato Grosso do Sul.
De acordo com o pantaneiro, os peixes começaram a aparecer mortos, boiando no rio, desde o dia 26 de janeiro, em uma localização de aproximadamente 1 quilômetro acima da passagem da Fazenda Rio Negro, conhecida nacionalmente por sediar a novela “Pantanal”.



Mistério dos pássaros mortos já atingiu a Europa
Na Suécia, na noite de terça-feira, na cidade de Falkoping, aproximadamente 100 gralhas, mortas, caíram do céu. A área foi isolada e os veterinários estão a investigar o que poderá estar na origem da morte em massa dos animais. A primeira vez que o fenómeno foi registado foi nos Estados Unidos, no Estado do Arkansas, na noite de passagem de ano, com milhares de pássaros mortos. Esta terça-feira, no Estado da Louisiana, na localidade de Morganza, o estranho fenómeno voltou a acontecer e vários milhares de pássaros de varias espécies foram encontrados mortos. Para o veterinário, Jim Lacour, da Louisiana, a explicação para a súbita morte dos animais ainda está por encontrar. Vou examinar estes pássaros e tentar determinar se existe algo em comum, se detectamos algo no ambiente em que os pássaros se encontram. Se há algo que os tenha contaminado os se há algumas lesões de crescimento.” A mais recente ocorrência do fenómeno foi no estado norte americano do Kentucky, onde centenas de pássaros apareceram mortos. Os veterinários não acreditam que haja perigo para o ser Humano, mas recomendam a que se mantenha a
distância dos pássaros.




Na inglaterra milhares de caranguejos morreram na praia


A tartaruga verde encontrada ontem à tarde nas proximidades da ponte pênsil da Lagoa de Barra Velha elevou o índice de animais mortos no Litoral Norte de Santa Catarina. De acordo com estimativas do Museu Oceanográfico da Univali, passa de 130 o número de mamíferos e répteis encontrados sem vida entre São Francisco do Sul e Governador Celso Ramos.

A soma entre o fim de outubro e novembro ultrapassa todo o índice dos últimos dois anos, relata o curador do museu, Jules Rosa Soto. A média era de sete tartarugas e menos de um golfinho mortos ao mês. O especialista aponta a pesca com redes de emalhe como principal causa do problema.

Soto diz que um relatório com a causa geral das mortes está em fase de acabamento. O museu pretende encerrar hoje o recolhimento dos animais mortos na região, para então divulgar o relatório. O documento será entregue à Rede de Encalhes de Mamíferos Aquáticos do Sul, composta por órgãos como o Ibama.




Mistério: 8.000 rolas cairam no chão mortas em Faenza, Itália, e foram encontradas tendo uma mancha azul em em torno dos seus bicos.
Milhares de pombas mortas choveram sobre telhados e carros em uma cidade italiana no mais recente de uma onda crescente de mortes em massa de animais em todo o globo. Residentes em Faenza descreveram os pássaros caindo no chão como "bolinhas de Natal 'com estranhas manchas azuis em seus bicos. Os testes iniciais em até 8000 das pombas indicou que a mancha azul poderia ter sido causada por envenenamento ou hipóxia.


Mais 10.000 gado morto no Vietnã:
Vacas,Buffalo. No último de uma série de mortes de animais em massa ,10.000 vacas e búfalos morreram no Vietnã.
Ministério do Vietnã da Agricultura e Desenvolvimento Rural confirmou a notícia esta semana que mais de 10.000 vacas e búfalos morreram em todo o país devido às condições climáticas adversas.
Animais foram morrendo ao longo do Vietnã, que teve um inverno particularmente intensa.
A província montanhosa de Cao Bang foi mais atingida com 2.260 animais mortos. Alguns disseram que o número total de gado morto pode ser tão alta quanto 13 mil.
Mortes de animais em massa tem sido notícia em todo o mundo.


24/03/2011
Centenas de estrelas-do-mar mortas foram encontradas em uma praia no Norte do País de Gales.


O número de golfinhos mortos encontrados ao longo da costa dos Estados Unidos no Golfo do México desde o mês passado subiu e já chega a quase 60, disse uma cientista que agora busca entender a causa da morte dos mamíferos marítimos.
O órgão do governo norte-americano responsável pelos oceanos considerou as mortes dos golfinhos "um evento incomum de mortalidade", disse a porta-voz da entidade Blair Mase à Reuters.

Algum de vocês sabe o que está causando tudo isso, porque eu com certeza não. No Momento, estamos no escuro. Talvez seja os americanos e russos testando suas armas geofisicas.

Não se alarme se daqui alguns dias milhares pessoa forem encontradas mortas em praça pelo mundo. Para isso basta mudarem a frequência das armas geofisicas.

Não se alarme se daqui alguns dias milhares pessoa forem encontradas mortas e    Fonte Internet:

Por Valentim Eccel

segunda-feira, 1 de junho de 2015

MAÇONARIA - E SUAS CO-IRMÃS AS SOCIEDADES SECRETAS