BUSQUE AQUI MESMO

Carregando...

OLA VISITANTES

ESTATISTICAS MUNDIAL

COM A PALAVRA IRMÃO RUBENS

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

GRIPE ESPANHOLA

MALHEM EMAGREÇAM FIQUEM EM BOA FORMA É TUDO QUE A GRIPE ESPANHOLA PRECISA PARA UMA PANDEMIA MUNDIAL NA SUA ULTIMA E UNICA APARIÇÃO SO NO RIO DE JANEIRO EM UMA SEMANA MATOU MAIS DE 700 PESSOAS
A volta do vírus assassino gripe espanhola a Deusa morte
História da epidemia.
Lúcia Martins
Qual foi a pior epidemia de todos os tempos? A Aids, que matou 22 milhões de pessoas nas últimas duas décadas e devastou vários países da África? A Peste Negra, surto de peste bubônica que arrasou a Europa entre 1347 e 1351 levando 25 milhões de pessoas e deixando mais de 1 000 cidades desertas? Ou a gripe?

A resposta certa, acredite, é a última. A grande epidemia de Gripe Espanhola, que assolou o planeta em 1918, matou quase tanta gente quanto a Aids ou a Peste Negra em muito menos tempo. Foram 20 milhões de cadáveres em apenas um ano! A epidemia, causada por uma variedade do vírus Influenza, o mesmo da gripe comum, gerou pânico e rendeu manchetes de jornais no mundo todo, ofuscando de longe os danos causados pela Primeira Guerra Mundial, que terminou naquele mesmo ano deixando um saldo de 8 milhões de mortos. Nunca, antes ou depois, uma doença matou tanta gente em tão pouco tempo.

Pois bem, agora as más notícias: a Gripe Espanhola pode voltar a qualquer momento. Um estudo do biólogo Mark Gibbs, da Universidade Nacional da Austrália, em Canberra, oferece uma explicação assustadora para o surgimento da doença. Ela teria sido causada por uma fusão total dos genes do vírus da gripe do porco com os do vírus da gripe humana. Nesse tipo de combinação, os genomas se quebram e forma-se um terceiro organismo, totalmente misto, sem pedaços identificáveis de nenhum dos vírus que lhe deram origem. Nenhum pesquisador imaginava que esse tipo de fusão fosse possível.

Já se sabia que o vírus da Gripe Espanhola vinha do porco, desde que uma equipe do Instituto de Patologia das Forças Armadas dos Estados Unidos, que estudou tecidos preservados de vítimas da epidemia, publicou um artigo sobre o assunto na revista americana Science, há quatro anos. Mas, antes, supunha-se que tinha havido apenas uma fusão parcial dos genomas – na qual o vírus resultante apresenta em seu DNA pedaços inteiros dos progenitores. A fusão total é muito mais preocupante porque ela resulta em um organismo contra o qual não há defesa nenhuma e que pode gerar uma variedade imensa de combinações de genes. O pior é que, tendo acontecido em 1918, não há razão nenhuma para descartar a possibilidade de que ocorra de novo.

“Sabemos que o vírus pode nos surpreender”, afirma o médico brasileiro Hermann Schatzmayr. Schatzmayr trabalha no Centro Nacional de Referência para o Influenza, um dos 110 órgãos que formam a rede mundial de vigilância contra o vírus, formada em 1947 pela Organização Mundial de Saúde para tentar proteger o planeta de uma nova epidemia. Um dos trabalhos dele consiste em ficar alerta para o aparecimento de gripes mais poderosas que o normal e alertar a rede quando isso acontecer. Depois de 1918, gripes assassinas apareceram em 1957, 1968 e 1997. Felizmente, em nenhuma dessas ocasiões o vírus era tão perigoso e se espalhava tão rápido quanto o do começo do século XX. O último surto aconteceu em Hong Kong e ficou conhecido como a Gripe do Frango (porque a combinação genética se deu com o Influenza da galinha).

A epidemia foi controlada pelas autoridades médicas locais, que isolaram os casos e determinaram a matança de milhares de aves. Mas o saldo de mortos dá uma idéia do potencial devastador do vírus: das 18 pessoas contaminadas, seis morreram.

Cifras bem mais modestas que as de 1918. O surto famoso teve início em março daquele ano num campo militar do Kansas, Estados Unidos. (A doença ganhou o apelido de “espanhola” porque foi naquele país ibérico que ela se espalhou mais rápido – ou então, simplesmente, porque os americanos são melhores de marketing e não entraram para a história como deflagradores de uma epidemia.) Em pouco tempo, 700 000 americanos estavam mortos. Em maio, já havia 8 milhões de pessoas contaminadas em todo o mundo, inclusive no Brasil, onde o presidente Rodrigues Alves foi um dos que o Influenza acamou.

Em várias cidades do mundo, autoridades determinaram toque de recolher para evitar concentrações em lugares públicos. A população se trancou em casa – escolas, igrejas e lojas fecharam as portas. Sem lugar para colocar os corpos, hospitais chegavam a empilhá-los nas ruas – uma cena que lembrava muito a peste medieval. Os jornais da época falam da rapidez com que a doença atacava e matava – muitas vezes em menos de uma semana. Os sintomas eram os de uma gripe comum, mas em poucas horas os doentes tinham hemorragia, diarréia e febre alta. A infecção das vias respiratórias criava condições para que outras doenças surgissem, o que apressava a morte. Era assustador. Hoje poderia ser ainda mais, com a propagação do vírus favorecida pelas facilidades dos transportes internacionais. Enquanto os cientistas quebram a cabeça para entender como a fusão dos vírus pode ser combatida, só nos resta torcer para que ela não aconteça de novo.
http://super.abril.com.br/ciencia/a-volta-do-virus-assassino/

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

GRAVAR SONHOS ? É POSSIVEL

Máquina para gravar sonhos é possível, diz cientista Pallab Ghosh Da BBC News

Cérebro (arquivo SPL)
Cientistas analisaram neurônios ativados por imagens específicas
Um pesquisador nos Estados Unidos afirmou que tem planos para criar um dispositivo eletrônico de gravação e interpretação de sonhos.
Moran Cerf, do Instituto de Tecnologia de Pasadena, na Califórnia (oeste do país), afirma que a "leitura dos sonhos" é possível baseada em um estudo inicial que, segundo o cientista, sugere que a atividade de células individuais do cérebro, os neurônios, é associada a objetos ou conceitos específicos.
Em sua pesquisa Cerf descobriu que, quando um dos voluntários estava pensando na atriz Marilyn Monroe, um neurônio em particular foi ativado.
Ao mostrar a voluntários acordados que participaram de seu estudo uma série de imagens, Cerf e seus colegas conseguiram identificar neurônios que eram ativados pelos objetos e conceitos.
Ao observar qual neurônio se ativava e quando isso acontecia, os cientistas construíram uma base de dados para cada paciente.
Com ela, Cerf alega que é, efetivamente, capaz de "ler as mentes” dos voluntários.
Análise do sonho
Há séculos são feitas tentativas de interpretar os sonhos; no Egito antigo, por exemplo, eles eram considerados mensagens dos deuses.
Atualmente, análises de sonhos são usadas por psicólogos como uma ferramenta para compreender o inconsciente. Mas a única forma de interpretar os sonhos é perguntar para as pessoas depois que elas acordam.
O objetivo do projeto de Moran Cerf e sua equipe é desenvolver um sistema que daria aos psicólogos uma forma de corroborar as lembranças destes sonhos com a visualização eletrônica da atividade cerebral durante o sonho.
"Não há uma resposta clara para a razão de os humanos sonharem", disse Cerf. "E, uma das questões que gostaríamos de responder é quando nós criamos estes sonhos."
No entanto, o cientista admite que há um longo caminho antes que a simples observação das reações de um neurônio específico possa se transformar em um dispositivo para gravar sonhos. Mas Cerf acredita que existe uma possibilidade e ele gostaria de tentar.
Para isso, o próximo estágio de seu trabalho é monitorar a atividade do cérebro dos voluntários enquanto eles estão dormindo.
Os pesquisadores vão conseguir identificar imagens ou conceitos relacionados com os que estão arquivados em sua base de dados. Mas, esta base de dados pode, na teoria, ser construída. Por exemplo, ao monitorar a atividade dos neurônios enquanto o voluntário está assistindo um filme.
Eletrodos e sensores
Roderick Oner, psicólogo clínico e especialista em sonhos britânico, acredita que este tipo de visualização limitada pode gerar interesse acadêmico, mas, por outro lado, pode não ajudar muito na interpretação dos sonhos ou em terapias.
"Para isso você precisa da narrativa total e complexa do sonho", afirmou.
Outra dificuldade com a técnica proposta por Moran Cerf é que, para conseguir o tipo de resolução necessária para monitorar neurônios individuais, os voluntários teriam que ter eletrodos implantados profundamente, por um processo cirúrgico, no cérebro.
No estudo publicado na revista Nature, os pesquisadores americanos conseguiram os primeiros resultados ao estudar voluntários com o implante de eletrodos usados normalmente para tratar de convulsões cerebrais.
Mas Cerf acredita que a tecnologia de sensores está se desenvolvendo em um ritmo tão acelerado que, com o tempo, poderá ser possível monitorar a atividade do cérebro sem a necessidade de cirurgias.
"Seria maravilhoso ler as mentes das pessoas quando elas não podem se comunicar, como em pessoas em coma", disse o cientista.
Interface
Para o professor Colin Blakemore, da Universidade de Oxford, existe uma distância grande entre os resultados limitados obtidos no estudo do cientista americano e a possibilidade de gravar sonhos.
Já foram feitas tentativas de criar interfaces para traduzir pensamentos em instruções para controlar computadores e máquinas.
Mas, a maioria destas tentativas se concentrou em áreas do cérebro envolvidas no controle de movimentos. Os sistemas de monitoramento que Cerf pretende criar visam áreas mais sofisticadas do cérebro para poder identificar conceitos abstratos.
O cientista americano afirma que as pesquisas e usos de um dispositivo que lê a mente de outra pessoa são muitos.
"Por exemplo, em vez de escrever um email, você poderia apenas pensar o email. Ou, outra aplicação futurista, seria pensar em um fluxo de informações e ter estas informações escritas bem à sua frente", disse.

GRAVAR PENSAMENTOS? NEUROCAM

NEUROCAM JA PENSOU EM GRAVAR TEUS PENSAMENTOS? ENTÃO VEJA ISSO Neurocam promete captar pensamentos e enviar ao iPhone A Neurowear está desenvolvendo um produto que será capaz de ler a mente. Trata-se da Neurocam, que atuará em harmonia com o iPhone Até onde a tecnologia e o desenvolvimento do homem e máquina podem chegar? A cada dia que passa, mais e mais estudos que demoraram anos para serem pesquisados estão com seus trabalhos prontos, e por meio de seus pesquisadores sendo divulgado por diversos países pela rede mundial de computadores. Através desse estilo de coisas impensáveis e que se tornaram realidade, é que mais um aparelho acaba de ser apresentado. Trata-se do Neurocam, a nova tendência de mercado produzido pela empresa japonesa Neurowear. Prepare o cérebro e saiba mais sobre essa verdadeira máquina de captar o pensamento.

O que é o Neurocam?
Neurocam
O funcionamento do Neurocam, da Neurowear, se dá através da captação do pensamento por um equipamento acoplado a um iPhone. Com um formato parecido a um fone de ouvido, o aparelho circunda a cabeça, e todas as fases do pensamento humano são assimiladas como se fosse uma frequência. As mudanças são analisadas e o que o computador achar que for mais interessante, ele grava automaticamente. Todas essas funções são direcionadas para a câmera do smartphone. Mesmo em fase de testes, as buscas sobre o Neurocam na internet tem batido recordes, o que tem deixado seus desenvolvedores muito contentes.

O funcionamento se dá através do visor do gadget, que fica posicionado junto aos olhos. Através dos diversos sensores distribuídos no aparelho, é que são detectadas as atividades no cérebro. Segundo informações divulgadas sobre o Neurocam, uma escala de zero a cem determina o nível de interesse do usuário, e quando esse valor passa de sessenta, um gif animado de cinco segundos é gravado automaticamente pelo dispositivo, sendo capturado tudo o que está acontecendo à frente da câmera do smartphone.

Literalmente, o aparelho funciona com a força do pensamento, por conta disso assim que lançado de forma oficial deve ser um dos produtos mais procurados nas lojas especializadas. Assim que captada a imagem, ela é salva em um álbum que grava a data e o horário do acontecimento. A japonesa Neurowear tem sede em Tóquio e é constantemente lembrada por ser uma empresa criativa, que tem em sua linha de produtos, aparelhos que fogem do cotidiano. Entre as curiosidades estão os fones de ouvido que captam emoções e selecionam músicas na playlist de acordo com o humor do usuário. Ainda não foram divulgados nem a data de lançamento e nem mesmo qual o valor aproximado que o aparelho deve custar. E você, o que achou dessa novidade?
http://www.scriptbrasil.com.br/celulares-e-tablets/ios/neurocam-captar-pensamentos-enviar-iphone.html

domingo, 25 de dezembro de 2016

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

OBAMA GAY MICHELLI TRANSSEXUAL

Joan Rivers diz que Barack Obama é gay e que Michelle é transexual

ONTEM 19/12/2016 AS 22:20 HS PASSOU NO DISCOVERY EM AUTOPSIA DE FAMOSOS A AUTOPSIA DE JOAN RIVERS ELA ERA A MAIS VELHA COMEDIANTE DOS ESTADOS UNIDOS MORREU COM 81 ANOS 1933 Á 2014 E ACREDITE EM UM EXAME DE ENDOSCOPIA EM 2014 AGORA PRA MIM FECHOU O QUEBRA CABEÇA NOSSA ESTA AI A RESPOSTA ELA DECLAROU EM 2014 QUE OBAMA É GAY E MICHELLI TRANSSEXUAL


Aos 81 anos, a atriz e comediante Joan Rivers deu uma declaração no mínimo curiosa e inusitada para um jornalista que a abordou e perguntou em quanto tempo os Estados Unidos teria um presidente assumidamente gay.

Ela, que acabava de oficializar um casamento gay durante uma noite de autógrafos de seu novo livro, declarou que os EUA já têm um: Barack Obama. E ainda disse que a primeira-dama, Michelle, faz parte do grupo trans.

“Nós já temos [um presidente gay], o Obama. Então vamos comemorar. E você sabe que a Michelle é uma travesti, né?”, declarou Rivers, deixando o repórter desconcertada com o espontaneidade.

“Perdão, ela é o quê?”, questionou novamente. Foi então que a atriz reiterou: “Uma transexual, todo mundo sabe! Está tudo bem”, explicou.

Fonte: site homossexual A Capa
via: www.juliosevero.com

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

DIZIMO A FARSA

NOS ANOS 80 TIVE UM PATRÃO QUE SE CHAMAVA SENIOR TOTY ERA JUDEU KABALISTICO E CERTA FEITA CONVERSAVAMOS EU TINHA 20 ANOS E ELE ME DISSE:__SABE NÓS JUDEUS RIMOS MUITO QUANDO VEMOS A RELIGIAO CRISTÃ FALANDO SOBRE O DIZIMO PRIMEIRO PORQUE NÓS RECOLHEMOS 30% E EU DIGO RECOLHER PORQUE O DIZIMO QUE VOCES SE REFEREM NÓS CHAMAMOS DE TRIBUTO, IMPOSTO É É COBRADO SOMENTE DE JUDEU PARA JUDEU NÃO IMPORTANDO A QUAL TRIBO OU SEGUIMENTO DO JUDAISMO AO QUAL ELE PERTENÇA DE ESTRANGEIROS NAO SE COBRA IMPOSTO, EU MESMO SOU JUDEU KABALISTICO SOU UM SADUCEU CREIO NA REENCARNAÇÃO POREM SOU TRIBUTALISTA PAGO SEVERAMENTE OS MEUS 30% PORQUE VEJO ONDE, COMO E PORQUE ELE É USADO E EMPREGADO,MAS VOCES DO CRISTIANISMO USAM UMA LEI DE TRIBUTOS NOSSA PARA SUSTENTAR ESSA RELIGIAO,O TRIBUTO QUE VOCES CHAMAM DE DIZIMO É PARA NÓS COMO O IPTU,IPVA,DECLARAÇÃO DE RENDA SABE MEU AMIGO NESSES 30% ESTÃO INCLUIDO TUDO QUE UM JUDEU PRECISA COMO CIDADÃO POR ISSO ESSA ESTORIA DE DIZIMO É PURA MENTIRA.
PS- EU OUVI ISSO DE UM JUDEU MEU EX-PATRÃO SENIOR TOTY EM 1986 NATURALIZADO COMO JUDEU BRASILEIRO

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

MISSEIS AMERICANOS

MISSEIS AMERICANOS AINDA SAO AMEAÇAS DIZ ADMINISTRAÇÃO OBAMA APESAR DO TRATADO START ESTADOS UNIDOS SEGUE COM SEUS PLANOS DE MÍSSEIS

Estratégia dos Estados Unidos para o sistema de defesa de mísseis. Foto: http://www.sta.ethz.ch
Estados Unidos seguirá com a criação de um sistema global de defesa antimíssil (DAM) e negociará com a Rússia as oportunidades de cooperação nesse assunto, declarou Tom Donilon, assesor do presidente norte-americano para a segurança nacional.

“O presidente Barack Obama reafirma a intenção de desenvolver e implantar, paralelamente às negociações com a Rússia, um sistema de defesa antimíssil eficiente para proteger os Estados Unidos e seus aliados contra a crescente ameaça de mísseis oriunda de países como Irã e Coréia do Norte”, manifestou Donilon mo decorrer de uma conferência sobre política nuclear em Washington.

O assessor acrescentou que o sistema DAM norte-americano “não representa um perigo para a Rússia e suas forças de dissuasão estratégicas, tal e como declarou reiteradas vezes o presidente Obama”. “E mais, os dirigente de ambos países concordaram em elaborar um programa de cooperação entre Estados Unidos e Rússia no âmbito da defesa antimíssil”.

Os Estados Unidos crêem demostrar através desse programa que o escudo antimíssil, longe de enfraquecer a estabilidade estratégica, oferece proteção conjunta a ambas as nações. “É um grande passo e uma garantia de que os Estados Unidos colabora com seus aliados e sócios em um espírito de respeito mútuo e em áreas de interesses comuns”, destacou Donilon.

A administração de Barack Obama propôs até 2015 os planos do anterior Governo de George W. Bush que pretendia implantar um radar de defesa antimíssil na República Checa e uma base de mísseis interceptores na Polônia, próximos das fronteiras com a Rússia. Esta última interpreta as intenções de Washington como ameaça direta ao seu potencial estratégico.
Fonte: http://sp.rian.ru/Defensa/20110330/148618472.html
Leia também:
Estados Unidos como defensor da Polônia contra a Rússia.
Estados Unidos e Rússia revisam as ameaças de mísseis.
Apesar do convite da OTAN, a Rússia ainda espera para juntar-se à defesa anti-míssil da Europa.

MAÇONARIA - E SUAS CO-IRMÃS AS SOCIEDADES SECRETAS