BUSQUE AQUI MESMO

domingo, 31 de dezembro de 2017

A PRINCESA LESBICA DA DISNEY

WALT DISNEY COMO SEMPRE QUANDO NAO ALIENANDO ESTA INDUZINDO CRIANÇAS AO ERRO EM 2018 LANÇARÁ LONGA ANIMADO A PRINCESA LESBICA QUE PODERA SER ELSA DO FILME FROZEN.

Comunidade LGBT americana pressiona para que personagem saia do armário


Rio - Imagine se a princesa Elsa do aclamado ‘Frozen — Uma Aventura Congelante’, que teve bilheteria de US$1,2 bilhão, saísse do armário? É isso mesmo. A comunidade LGBT norte-americana lançou uma campanha para que os estúdios de Walt Disney a transforme numa personagem assumidamente lésbica.
O blog Feminist Culture criou a hastag #GiveElsaAGirlfriend (Dê a Elsa uma namorada), e o tópico se tornou um dos mais comentados no Twitter. Tudo após pesquisa do grupo Gay and Lesbian Alliance Against Defamation sobre inclusão LGBT nos filmes de Hollywood. Segundo o estudo, dos 126 filmes lançados em 2015 pelos sete principais estúdios, apenas 17,5% incluíam personagens homossexuais.
A assessoria da Disney no Brasil ainda não declara seu posicionamento sobre o assunto, mas desde 2014, em entrevista a um veículo da Califórnia, a executiva da empresa de entretenimento, Ellen Etheridge, não descarta a possibilidade. “Tentamos diversificar nossas personagens femininas ao longo dos anos e percorremos um longo caminho desde a princesa de ‘A Bela Adormecida’. Pensamos em personagens femininos fortes para que as crianças possam admirar. Criamos uma princesa negra há alguns anos e queremos abrir novos caminhos”, disse Ellen.



"Pensamos em personagens femininos fortes para que as crianças possam admirar", disse diretora da Disney
Foto: Divulgação

A possibilidade da discussão de novos arranjos familiares na animação de um dos maiores estúdios do planeta empolgou a cantora Daniela Mercury. Casada com a jornalista Malu Verçosa desde 2013, as duas são mães de três filhas. “Fiquei extremamente feliz com essa notícia da possibilidade de transformar a Elsa em um ícone LGBT.
Aliás, as duas protagonistas do filme são bem fortes. Eu assisti várias vezes por conta da nossa filha mais nova, Ana Isabel. Seria fantástico que essa personagem, que já é tão amada pelas crianças, famílias, se revelasse lésbica. É muito bom para a diminuição do preconceito e a compreensão que o ser humano é múltiplo também na sua sexualidade e isso em nenhum momento afeta as famílias no que é mais importante nas relações humanas. Pedimos ao secretário-geral da ONU também que nos auxiliasse na luta, aqui no país para a aprovação da criminalização da homofobia”, frisa a cantora.
Daniela e Malu fazem parte da campanha global ‘Livres & Iguais’, que tem por objetivo aumentar a conscientização sobre a violência e a discriminação homofóbica e transfóbica e promover um maior respeito pelos direitos das pessoas LGBT: “Quando eu e Malu fomos a Nova York no encontro com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, pedimos duas coisas: a primeira, justamente que ele fizesse uma campanha em Hollywood, junto aos produtores cinematográficos, pedindo que refletissem sobre a importância da inclusão das famílias LGBT na sua dramaturgia, nos desenhos animados (Disney, Pixar), para que a diversidade humana fosse contemplada e naturalizada.”
Para Malu, a notícia do movimento emociona pela representatividade: “É importante que as crianças enxerguem outros modelos familiares. Outro dia mesmo, nossa filha mais nova me perguntou por que ela não via nenhum casal de duas mulheres nos filmes de criança”, ressalta a jornalista.
Jaime Nadal, que representa o escritório do UNFPA (Fundo de População das Nações Unidas no Brasil), a agência de desenvolvimento internacional da ONU que trata de questões populacionais, concorda: “A questão dos direitos humanos da comunidade LGBT tem sido bastante debatida e foi, inclusive, tema de uma conferência nacional realizada em Brasília na semana passada. Os acordos e tratados internacionais têm reiterado que a orientação sexual e a identidade de gênero não podem ser motivo de discriminação”.
Uma outra sugestão da pesquisa norte-americana sobre inclusão é que a Disney coloque no próximo filme da saga ‘Star Wars’ um casal homossexual masculino. A aposta seria no casal formado pelos personagens Poe Dameron (Oscar Isaac) e Finn (John Boyega), que já demonstraram grande aproximação no último filme da franquia.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

FUTEBOL A GRANDE FARSA NACIONAL

VEJA COMO A PROPRIA MIDIA MOSTRA SUAS FINALIDADES E PARA QUE ELA EXISTE VEJA ESTE TRECHO DA NOVELA QUE REI SOU EU DE 1989 CAPITULO 55 ONDE FALA SOBRE MANIPULAÇAO E ALIENAÇAO USANDO O FUTEBOL


quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

JUDEUS E O INFERNO

AÍ CRISTIANISMO EXPLIQUE ISSO !! OS SIMPSONS TEMPORADA 21 EPISODIO 16 A MELHOR HISTORIA JA CONTADA

USINA NUCLEAR DOS SIMPSONS

NOTE O QUE HOMER DIZ NA PRECE DA REFEIÇAO SERIA MAIS UMA PROFECIA SIMPSIANA ?? EPISODIO 15 DA SEGUNDA TEMPORADA - IRMAO ONDE ESTARAS ?

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

WALMART O LADO OCULTO DO NEGOCIO

WALMART O LADO OCULTO DO NEGOCIO 

Teoria da conspiração dos campos de FEMA

teoria de campos de conspiração FEMA afirma que o US Agência Federal de Gestão de Emergência (FEMA) está planejando para aprisionar cidadãos americanos em campos de concentração .  Isso geralmente é descrito como seguindo a imposição da lei marcial nos Estados Unidos após uma grande catástrofe ou crise. Em algumas versões da teoria, apenas os suspeitos de dissidentes serão presos. Em versões mais extremas, um grande número de cidadãos dos EUA será preso para fins de extermínio à medida que um novo pedido mundial for estabelecido.
teoria da conspiração tem existido desde o final da década de 1970, mas recuperou muito em popularidade desde o final da década de 1990. 
A FEMA foi criada em 1979 sob a ordem executiva pelo presidente Jimmy Carter . Foi estabelecido para coordenar a resposta a um grande desastre que ocorreu nos Estados Unidos e que supera as autoridades locais e estaduais. No entanto, os defensores da teoria da conspiração argumentam que isso é apenas uma cobertura para o propósito real da organização. Este plano é assumir o controle dos Estados Unidos na sequência de um grande desastre ou ameaça, um genuíno ou um fabricado. Uma vez que uma catástrofe ou ameaça surgir, a teoria vai, a lei marcial será declarada e os poderes de emergência da FEMA entrarão em operação. A FEMA será efetivamente o governo .  A constituiçãoserá suspenso e a FEMA moverá os cidadãos dos EUA para campos especialmente construídos, muitos dos quais já foram construídos.  A organização foi descrita neste contexto como "o braço executivo do próximo estado policial ".  Os defensores da teoria costumam jogar em medos raciais , afirmando que a FEMA usará "gangues urbanas" como auxiliares para garantir a ordem. 
Em muitas versões da teoria, os "dissidentes" (tipicamente definidos como constitucionalistas  patriotas, etc., em vez de esquerdistas) simplesmente serão presos.  Outros chegaram a argumentar que serão enviados a esses campos para serem assassinados.  Versões extremas da teoria afirmam que os planos estão em vigor para prender e matar cidadãos americanos apolíticos nos campos da FEMA como parte de um plano de " controle populacional ".  As conspirações da FEMA são muitas vezes trabalhadas em narrativas de conspiração maiores sobre o início de uma "Nova ordem mundial", o que significa um governo global totalitário 
Como evidência da conspiração, os defensores da teoria apontam para os campos da FEMA que já existem nos Estados Unidos. Estes, no entanto, muitas vezes têm conhecimento, objetivos estabelecidos, como as instalações da Amtrak e os centros de treinamento das Forças Armadas .  Em alguns casos, campos de internação genuínos foram apontados, mas estes sempre estiveram fora dos Estados Unidos. 
Os defensores também citaram um plano de contingência ( Rex 84 ), elaborado em parte por Oliver North, apelando à suspensão da Constituição e à detenção de cidadãos em caso de crise nacional. ] Destina-se a ativistas de esquerda, não aos libertários e aos diretores de direita, geralmente associados às teorias da FEMA.  Isto foi vinculado a um documento de 1970 de Louis Giuffrida (anos mais tarde, o diretor da FEMA) pedindo o estabelecimento da lei marcial no caso de uma revolta por militantes afro-americanos e o internamento de milhões de afro-americanos. [16]
Os teóricos da conspiração usaram o internamento real de japoneses americanos durante a Segunda Guerra Mundial em campos especificamente construídos como evidência de que tal cenário, pelo menos, tem precedentes históricos.  Da mesma forma, a remoção forçada de nativos americanos de suas terras é um precedente anterior.
História 
Uma das primeiras referências conhecidas aos campos de concentração da FEMA vem de um boletim publicado por Posse Comitatus em 1982, com a advertência de que os "patriotas incondicionais" deveriam ser detidos neles.  A prevalência da teoria da conspiração aumentou em linha com o aumento do movimento da milícia na década de 1990.  Um suposto campo de FEMA foi destaque no influente filme da América Linda Thompson America Under Siege (na realidade, o "campo FEMA" era uma instalação de reparo da Amtrak). Após o atentado de 1995 em Oklahoma City , a teoria da conspiração foi discutida pelo Subcomitê do Judiciário do Senado sobre Terrorismo Doméstico. A inclusão da teoria no enredo do filme X-Files de 1998 mostrou seu crescente alcance. 

Os temores da FEMA diminuíram no início dos anos 2000, uma vez que os terroristas estrangeiros eram percebidos como a principal ameaça. No entanto, a recessão do final dos anos 2000 e a eleição de Barack Obama em 2008 renovaram a oposição entre os conservadores ao governo federal . Neste contexto, houve um ressurgimento no movimento da milícia e, com isso, a teoria da conspiração dos campos da FEMA.  Desta vez, no entanto, a teoria conseguiu alcançar mais círculos de direita, enquanto já havia sido confinado ao extremo direito. FOX News personalidade Glenn Beck, por exemplo, tempo de antena dedicado a ele em três shows, dizendo que ele não poderia desprezá-lo (embora ele mais tarde declarou que ele não acreditava na teoria).  Os e-mails da revista National Review também promoveram a teoria.  A deputada Michele Bachmann aludiu à teoria no escritório,  como tem outros políticos do Partido Republicano . 
Tal foi o aumento que a própria FEMA registrou, afirmando que não tem planos para deter os cidadãos.  No entanto, em um memorando interno, a FEMA admitiu que não poderia esperar convencer um grande número de que não tinha planos sinistidos e advertiu que era "melhor não entrar em debate sobre o assunto".  A revista Popular Mechanics publicou debunks das várias reivindicações dos teóricos da conspiração. 


    MAÇONARIA - E SUAS CO-IRMÃS AS SOCIEDADES SECRETAS