BUSQUE AQUI MESMO

domingo, 8 de julho de 2012

DOMINGO, 8 DE JULHO DE 2012

'Deus é grande', grita talibã. E mata a tiros mulher acusada de adultério

Talibã mata sua melhor sob a acusação de adultério
Na interpretação talibã do Corão, marido tem o direito
de matar sua mulher quando ela cometer adultério 
A agência Reuters divulgou hoje (8) um vídeo [ver trecho abaixo] mostrando o talibã Juma Jan matando a tiros a sua mulher, identificada como Najiba, sob a acusação de adultério. A execução ocorreu na província de Parwan, em um povoado próximo de Cabul, no Afeganistão.

As imagens foram gravadas pelo celular de uma pessoa das dezenas que assistiram ao assassinato.

O vídeo mostra a moça de 22 anos sentada, de costas, ouvindo a sentença de sua morte sem pedir clemência ou tentar fugir. Ela teria tido um caso com um chefe de um outro grupo de talibãs.

O marido cita versículos do Corão que condena o adultério, grita “Alá akbar” (Deus é grande) e, com um fuzil Kalashnikov, dispara duas vezes na direção de Najiba e erra. Faz mais disparos e acerta a cabeça dela. O vídeo não pega a mulher sendo atingida, mas a mostra caída no chão, morta.

A plateia vibra e alguns gritam que o Corão condena a traição conjugal.

O Ministério do Interior do Afeganistão prometeu investigar com firmeza o “ato anti-islâmico e desumano cometido por assassinos profissionais”.

Execução em nome de Alá

DOMINGO, 8 DE JULHO DE 2012

'Deus é grande', grita talibã. E mata a tiros mulher acusada de adultério

Talibã mata sua melhor sob a acusação de adultério
Na interpretação talibã do Corão, marido tem o direito
de matar sua mulher quando ela cometer adultério 
A agência Reuters divulgou hoje (8) um vídeo [ver trecho abaixo] mostrando o talibã Juma Jan matando a tiros a sua mulher, identificada como Najiba, sob a acusação de adultério. A execução ocorreu na província de Parwan, em um povoado próximo de Cabul, no Afeganistão.

As imagens foram gravadas pelo celular de uma pessoa das dezenas que assistiram ao assassinato.

O vídeo mostra a moça de 22 anos sentada, de costas, ouvindo a sentença de sua morte sem pedir clemência ou tentar fugir. Ela teria tido um caso com um chefe de um outro grupo de talibãs.

O marido cita versículos do Corão que condena o adultério, grita “Alá akbar” (Deus é grande) e, com um fuzil Kalashnikov, dispara duas vezes na direção de Najiba e erra. Faz mais disparos e acerta a cabeça dela. O vídeo não pega a mulher sendo atingida, mas a mostra caída no chão, morta.

A plateia vibra e alguns gritam que o Corão condena a traição conjugal.

O Ministério do Interior do Afeganistão prometeu investigar com firmeza o “ato anti-islâmico e desumano cometido por assassinos profissionais”.

Execução em nome de Alá


Com informação das agências e vídeo do Youtube. 

Vídeo mostra talibãs apedrejando casal acusado de adultério.
janeiro de 2011 

 Fanatismo islâmico.   Intolerância religiosa.


Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2012/07/video-taliba-mata-mulher-acusada-de-adulterio.html#ixzz204uVQyPR 

Com informação das agências e vídeo do Youtube. 

Vídeo mostra talibãs apedrejando casal acusado de adultério.
janeiro de 2011 

 Fanatismo islâmico.   Intolerância religiosa.


Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2012/07/video-taliba-mata-mulher-acusada-de-adulterio.html#ixzz204uVQyPR
Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MAÇONARIA - E SUAS CO-IRMÃS AS SOCIEDADES SECRETAS